Reforce a barreira da pele!
Para que as consequências da fricção entre a pele e a máscara sejam minimizadas, o grande objetivo passa por reforçar a função barreira da pele, de forma a melhorar a textura e a sua consistência. Cosméticos protetores e hidratantes, feitos à base de, entre outros, vaselina, vitaminas, extratos naturais com propriedades regeneradoras, ácido hialurónico e colagénio, ajudam nesta batalha em que a pele está, mais do que nunca, sujeita a agressões diárias constantes. Selecione, portanto, um creme hidratante adequado ao seu tipo de pele, cheio de propriedades capazes de criar a tal barreira que impede a entrada de agentes potencialmente nocivos.

Lábios sempre hidratados
Pelo menos uma vez por semana, invista numa esfoliação rápida nos lábios, para eliminar as células mortas e deixá-los preparados para o passo seguinte, o da hidratação. De seguida, aplique um bálsamo nutritivo, para hidratar em profundidade e reforçar a barreira protetora.

Consequências do uso prolongado
As máscaras de proteção vão ser de uso obrigatório em espaços públicos, porém, os especialistas têm alertado para o risco de lesões que podem advir do uso frequente deste equipamento. Consoante a pressão exercida, descamação, vermelhidão ligeira, prurido, borbulhinhas (semelhantes a uma crise de acne), feridas superficiais e, até, eczema irritativo são alguns dos problemas que podem manifestar-se.

Grupos vulneráveis
São compostos pelas pessoas que já foram diagnosticadas com doenças crónicas de pele, como psoríase, acne agressivo, dermatite atópica ou dermatite seborreica. Para este grupo, as consequências que decorrem do uso intensivo de máscaras podem agravar-se.

O que deve fazer
– Antes de colocar a máscara…
Se, à partida, sabe que tem uma pele sensível, não custa antecipar-se às consequências. Por isso, a conselho dos dermatologistas, pode e deve colocar, entre a pele e a máscara, compressas de algodão, para minimizar possíveis manifestações irritativas e inesperadas.
– Durante a utilização…
Se é obrigada a utilizar máscara durante longos períodos de tempo, tenha a preocupação de a substituir sempre que a sentir húmida ou danificada, isto é, quando identificar fissuras, dificuldade de adesão ao rosto, etc. Se tem o costume de usar cremes antienvelhecimento, evite fazê-lo nesta altura, porque, na sua composição, contêm compostos potencialmente irritativos. Limpezas de pele ou esfoliações também são contraindicadas, precisamente por comprometerem o efeito barreira da pele, o que facilita o desenvolvimento de dermatites.
– Após a remoção da máscara…
Com certeza que já experimentou um certo desconforto e o consequente alívio que é quando, finalmente, está em condições para descartar a máscara. A sensação desagradável deve-se simplesmente ao facto de a região da pele protegida pela máscara estar, naquele momento, submetida a uma saturação óbvia de oxigénio. Por esse motivo, é pertinente reforçar a hidratação da pele com um creme reparador.

Palavras-chave

Aproveite esta oferta especial, assine a TvMais por apenas €1,30/edição. ASSINE JÁ

Mais no portal