Com 15 minutos de diferença, os gémeos Alfredo Antonio e Aylin Yolanda Trujillo nasceram em dias, meses e até anos diferentes. Enquanto o menino veio ao mundo às 23.45 h do dia 31 de dezembro, tornando-se na última criança a nascer em 2021 naquela unidade de saúde da Califórnia, o Hospital Natividad Medical Group, a irmã foi a primeira bebé de 2022 ao nascer pontualmente às 0 horas do primeiro dia do ano. Mãe de outras três crianças, Fátima Madrigal confessou-se “surpresa e feliz” com a curiosidade em torno do nascimento dos bebés. “É surreal para mim que eles sejam gémeos mas com dias de aniversário diferentes”, disse a à BBC News. Para a médica Ana Abril Arias, que realizou o parto, o nascimento do casalinho foi “um dos momentos mais marcantes da minha carreira”. “Foi um enorme prazer ajudar a trazer esses pequenos em segurança em 2021 e 2022. Que forma maravilhosa de acabar um ano e começar o outro”, disse numa altura em que a taxa de natalidade nos Estados Unidos da América voltou a cair por conta da pandemia.Ainda assim, de acordo com o Centro para o Controlo e a Prevenção de Doenças, anualmente nascem cerca de 120 mil gémeos no país, o que se traduz em cerca de 3% dos recém-chegados ao mundo. 

Onde já li isto?

Embora raro, o caso de Alfredo e Aylin não é único. A primeira história marcou a mudança de ano de 2011 para 2012. As meninas Katia e Bianca nasceram com poucos minutos de intervalo, uma de cada “lado” da noite de réveillon. Também os gémeos Samuel e Sara ficaram para a história depois da sua mãe, Michele Ribeiro, ter entrado em trabalho de parto na última noite de 2017 e os bebés terem nascido um às 23.44 h (de dia 31) e o outro às 00.06 h do primeiro dia de 2018.

Palavras-chave

Aproveite esta oferta especial, assine a TvMais por apenas €1,30/edição. ASSINE JÁ

Mais no portal