Fátima Lopes, de 52 anos, confidenciou que sofreu burnout, isto é, um distúrbio psíquico causado pela exaustão extrema, quase sempre relacionado com o trabalho excessivo. A apresentadora, que regressou à SIC quase um ano depois de ter saído da TVI, falou abertamente sobre o tema e contou como tudo se passou a Daniel Oliveira. “Estava a fazer vários programas. Era mãe, gravava em Espanha [o programa “First Dates – O Primeiro Encontro” ao lado de Ruben Rua]. Tive um princípio de burnout. Não descansava. Tinha muita dificuldade em dormir. Sentia um cansaço extremo, subia dois lanços de escadas e estava supercansada. Sofria com uma dificuldade de concentração gigante. A memória muito afetada, muita falta de apetite e tristeza profunda. Tu vais para baixo”, começou por revelar, convicta de que o seu testemunho pode ajudar outras pessoas. “Assim que o médico fez o exame às pupilas, disse: ‘Está nas lonas, vamos ter de atuar já’. Segui tudo à risca e fiz medicação. As pessoas não têm de ter vergonha. Aos poucos, fui recuperando. E estou bem.” O apresentador de “Alta Definição” questionou-a se achava que era “a vida a puxar o travão de mão” e ela não teve dúvidas: “Completamente!”. Fátima recordou ainda outro momento em que a sua saúde sofreu devido à vida profissional intensa e agitada que levava. “Estive um mês sem voz e foi traumático. Psicologicamente, afetou-me muito. Ficou sempre o medo.”

No decorrer da entrevista, Fátima Lopes falou dos seus progenitores, Amélia e Francisco. “Que conforto encontras no rosto dos teus pais?”, quis saber Daniel Oliveira. “O conforto de quem sabe viver e o de quem tem sempre uma resposta que eu não tenho. Eu, aos 52 anos, não tenho sempre respostas para as coisas. Olho para o rosto dos meus pais e o rosto deles tem lá as respostas que ainda não tenho”, disse a apresentadora, que não conteve a emoção quando acrescentou: “Os meus pais são pessoas maravilhosas, extremamente humildes. São pessoas que me ensinaram muito daquilo que eu sou porque me mostraram o que é que é verdadeiramente importante. Tenho muito orgulho nos meus pais, eu nunca tive vergonha deles serem pessoas humildes”. Deveras emocionada, Fátima Lopes contou ainda: “Quando saí da televisão, fui a casa dos meus pais e disse-lhes. O meu pai, que é um homem assim muito alto e não é muito de abraços, abraçou-me e olhou-me no rosto e disse-me: ‘O pai sabe que te vai correr bem, porque tu és uma grande mulher e eu tenho muito orgulho em ti’. Foi a única vez nestes meses que despenquei a chorar, porque aquilo teve muito impacto em mim”. E, de lágrimas nos olhos, terminou: “São assim dois seres humanos muito sábios, que sabem amar bem. Os meus pais são pessoas muito capazes, muito valiosas, são dois diamantes que tenho na minha vida”.

Palavras-chave

Aproveite esta oferta especial, assine a TvMais por apenas €1,30/edição. ASSINE JÁ

Mais no portal