Em janeiro deste ano, sob o nome de “OX”, Ângelo Rodrigues lançou um EP chamado “Purga”, com quatro músicas e videoclipes. As letras são do próprio ator, que também foi o responsável pela realização dos vídeos. Nas músicas, Ângelo parece relatar problemas pessoais e fazer desabafos sobre situações do passado. 

Na descrição da canção “Despedida”, por exemplo, Ângelo explica que as letras das músicas estão diretamente ligadas às suas experiências pessoais: “O meu estilo de escrita é demasiado íntimo e as pessoas provavelmente não entenderiam isso”. A música fala sobre a própria adolescência e a relação do ator com o pai. 

“Tinha 14 anos e os danos colaterais 
Nos vários planos emocionais eram visíveis
 Eu vivia isolado no meu quarto até aos 16 
Os gritos eram uma constante 
E gradualmente o álcool tornou-se mais importante 
Começaram os episódios de epilepsia 
Começaste a ser falado em toda a freguesia”
Em certo momento da música, o ator também cita a irmã:
“Eu invejava os outros pais 
Se eu sinto a tua falta, imagino que a Mariana sinta mais  
Já não aguentávamos mais financeiramente 
E tu ias ficando cada vez mais indiferente”

A canção encerra com o que parece ter sido a despedida. O pai de Ângelo Rodrigues morreu há cerca de seis anos.

“Nunca te ouvi chorar 
Nunca me ensinaste a amar 
Apresso-me a comprar o bilhete para o próximo Alfa Pendular 
Estou aí em 3 horas 
E os médicos dizem que tu tens as horas contadas”

Em outra canção, “Euforia”, Ângelo Rodrigues fala sobre o período em que enfrentou uma depressão. ““Passei um ano em depressão” era o primeiro verso desta música. Resolvi regravar porque achei forte demais”, começa por explicar o ator, que decidiu mudar a letra. A música faz referência à pressão que pode ter sentido por parte da imprensa e às viagens que o ator costuma fazer:

“Eu vivi numa ilusão
Por não saber lidar com a pressão
Retirei-me de cena, viajei para fugir de problemas
Achei que essa era a solução
(…)
Sinto-me cansado de viver angustiado
Porque eu tenho vivido atormentado pelos fantasmas do meu passado
Os media deixaram-me desgastado
Por isso é que eu tenho estado afastado”

Outra das músicas do EP, “Sóbrio”, também parece refletir conflitos pessoais do ator, como dizem os seguintes versos:

“Hoje é meu último dia
Bato a porta, pego no passaporte e dispeço-me
Até um dia
E eu não queria que isso acontecesse mas foi o preço que paguei
Eu tenho pena de não ser o homem que sonhei
(…)
Não consigo estar bem comigo sóbrio
(…)
A vida é mal agradecida
Esta é a minha carta de despedida”

Em “Vazia”, outra das canções do EP, Ângelo parece descrever um relacionamento do passado. O ator não deixa claro de quem está a falar, mas na descrição da música, Ângelo explica que a letra já estava escrita há um tempo: Tinha uma letra adormecida num outro instrumental que achava que merecia outra oportunidade. Fiz uns pequenos ajustes e dei-lhe uma nova vida.”

“Tu só querias que eu estivesses inocentemente 
Numa relação sem sentimento 
O Pessoa diz que quem sente mente 
Mas eu já não sinto nada recentemente
(…)
É um facto, nunca te amei de facto
E, para quem era cisne,  tu viraste pato (feio)
Eu estou-me nas tintas, tipo Robbialac
Não voltarei a ser fiel, tipo Olavo Bilac”

Este não é o primeiro trabalho de Ângelo Rodrigues na música. Em 2012 o ator lançou um disco com o nome “Angel-O”. Veja no vídeo a evolução da carreira de Ângelo Rodrigues.

Palavras-chave

Aproveite esta oferta especial, assine a TvMais por apenas €1,30/edição. ASSINE JÁ

Relacionados

Mais no portal