António Cordeiro confessou recentemente sofrer de uma doença incurável. A notícia está a ser avançada por uma revista semanal a quem o famoso ator português terá dado declarações. Em entrevista afirmou ter sido diagnosticado com paralisia supranuclear progressiva (PSP), uma condição capaz de provocar rigidez nos músculos e demência, sendo menos frequente que a doença de Parkinson. Caracteriza-se por instabilidade postural e quedas frequentes, diminuição dos movimentos oculares sacádicos verticais e torna mais lenta a cognição, provocando ainda encerramento das pálpebras involuntário espontâneo, dificuldades na fala e na deglutição.

O diagnóstico preciso da doença não foi fácil de atingir já que inicialmente se pensava que o ator sofria de uma depressão. Contudo, o seu mal estar constante e a severidade de outros sintomas tais como progressiva lentidão na oralidade e dificuldade em reter os diálogos que iria interpretar, função vital de um ator, ‘denunciaram’ o seu estado de saúde.

Medicado atualmente, confessa ainda ter de enfrentar um outro problema: a falta de trabalho. O conhecido ator participou e, ‘Espelho d’Água’, e desde então que está em casa, após mais de três décadas de representação. Lamenta ainda a falta de condições dos atores em Portugal que, pouco apoiados, se veem na obrigação de trabalhar sem limite etário, a fim de garantir o seu próprio sustento. A viver na margem sul, mais precisamente no Barreiro, criou uma instituição que serve quase de lema à sua vida: O Rio Não é Uma Fronteira.

Palavras-chave

Mais no portal